terça-feira, 26 de maio de 2020

Há certas horas...

Há certas horas, em que não precisamos
de um amor, não precisamos da paixão
desmedida, não queremos beijo na boca
e nem corpos a se encontrar na maciez
de uma cama. Há certas horas, que só
queremos a mão no ombro, o abraço
apertado ou mesmo o estar ali,
quietinho, ao lado, sem nada dizer...